O Maior Engano

Rate this post

Será que a verdade pode ser uma maldição para seus possuidores e através da influência deles uma maldição para o mundo? Conheço muitas pessoas que professam a “verdade presente” e inclusive algumas que estão envolvidas em ensinar essa verdade às pessoas; mas ao encontrar-me com elas, as esposas e os filhos descubro que sua vida não está em harmonia com Deus! Os filhos são geralmente indisciplinados, desobedientes, e intratáveis. As esposas mantêm uma aparência destituída de poder. E não raras vezes a conversação do marido é negativa, apontando defeitos ou fazendo comentários de exaltação própria mesclados com um pouco de gracejo e zombaria.

ESTAMOS NOS ENGANANDO! COMO SABER?

Amigos, será que nós, como Paulo disse em Romanos 1:18, “detemos a verdade em injustiça?Se a verdade que professamos defender não nos torna, nem a nossa família, amáveis, pacientes, tolerantes, tendo a mente voltada para as coisas do Céu, bem organizados, bem disciplinados, compassivos, humildes e mansos, então podemos dizer que “é uma maldição a seu possuidor e, por meio de sua influência, uma maldição ao mundo”. – O Desejado de Todas as Nações, pág. 310.

Uma das lições mais profundas que aqueles que entre nós professam a “verdade presente” precisam aprender é que a Palavra sem uma experiência viva na própria vida é de pouco valor!

Os fariseus são os principais exemplos dos que abraçaram as ‘palavras’ ou as ‘verdades’ e ao mesmo tempo negaram a Cristo na própria vida. Cristo lhes disse: “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna…” João 5:39.

Sua experiência cristã consiste na “teoria da verdade” enquanto a sua vida, da esposa e dos filhos negam esse poder?

(mais…)