Uma resposta para PALAVRAS DO PSICÓLOGO: Educando Filhos para a Vida

  1. José Rafael diz:

    Tenho um filho de 17 anos e passo exatamente por estas questões relatadas.
    A maior perda pela qual podemos passar é a quebra da confiança entre pai/mãe e filho. Quando isso acontece, torna-se muito mais difícil saber a dosagem certa de severidade. O que ajuda, no meu entender, é a atitude assertiva. Quando os pais conseguem passar para o filho que estão atuando como tutores, educadores e este (filho) percebe algum benefício nesse ato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *