AJUSTANDO-SE AOS REVESES FINANCEIROS DO CASAMENTO

Rate this post

Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado, como também sei ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias já tenho experiência, tanto de fartura, como de fome, assim de abundância, como de escassez. Filipenses 4:11, 12.

Paulo diz que aprendeu a viver contente em toda e qualquer situação. Entretanto, essa atitude não é a reação natural de uma pessoa. Ela precisa lutar para demonstrar tais sentimentos diante das circunstâncias difíceis pelas quais passa. Paulo sabia viver feliz mesmo encarcerado numa cela romana, sem qualquer condição de higiene ou mesmo de alimentação satisfatória. Claro que é mais fácil viver em abundância do que com escassez. Se posso escolher entre um hotel cinco estrelas e outro que é classificado apenas com uma pontinha de estrela, evidentemente optarei pelo melhor. Não existe nenhuma virtude espiritual em escolher um hotel simples e desconfortável em detrimento a outro espaçoso e de luxo. Espiritual é saber administrar nossas reações na pobreza e na riqueza, sentindo contentamento em ambas situações.

Apliquemos este princípio à área financeira. Imagine-se recebendo R$ 1.000,00 por mês em seu emprego. Um dia o chefe o chama a seu escritório e diz: “Você tem sido um excelente funcionário, por isso resolvi lhe dar um aumento. A partir deste mês, você receberá R$ 1.400,00!”

Que notícia! Você sai do escritório de seu chefe nas nuvens, levitando, os pensamentos em alta rotação, imaginando-se agora capaz de pagar seus compromissos com mais folga, ou mesmo vendo-se já proprietário de uma nova TV ou aparelho de DVD, ou mesmo de um computador, ou…, ou…, ou… É sempre fácil e prazeroso moldar-se a lucros e não perdas.

Mas, o contrário não é tão simples. Pense em um rapaz esforçado, trabalhador, que luta contra as desvantagens de uma vida com pouco dinheiro, uma casa na periferia, distante do trabalho, que precisa pegar dois ou três ônibus para chegar ao emprego, e com quase nenhum material. Como todos nós, ele possui sonhos que parecem distantes e inatingíveis, devido às condições quase sempre adversas. Um dia, seu chefe o chama a seu escritório. Está sério, mais compreendendo do que nunca:

- Prefiro ir direto ao assunto. Apesar de você ser um ótimo funcionário, sinto dizer que precisamos dispensá-lo, pois a firma está passando por uma fase difícil e devemos restringir nossas despesas.

E agora? Bem, resumindo, esse homem consegue novo emprego, ganhando menos, é verdade. E seus sonhos se distanciam ainda mais.

Experiências como essas devem produzir em nosso interior reações corretas e sinceras. Se nosso filhos, ao verem nossa reação, entenderem que devemos estar felizes em situações de lucro ou perda, aprenderão por toda a vida que Deus é Senhor de tudo, e Ele usa de bondade para com aqueles que o amam e nEle confiam.

Extraído de Jaime Kemp, “Finanças: Conflitos ou Sucessos”. Ed. A.D. SANTOS, p. 19-22.

Marcado , , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *