Práticas Sexuais Alternativas

Rate this post

A visão bíblica

I Cor. 6:9-11: “Acaso vcs não sabem que os ímpios não herdarão o reino dos céus?…”

Essa carta foi escrita para a igreja de Corinto. Corinto, nos tempos de Paulo, era uma cidade muito rica economicamente, mas que tinha um nível alto de promiscuidade e homossexualidade. Por outro lado, tinha um  nível de educação muito alto, e belas produções arquitetônicas, e nas artes (músicas, pinturas, etc.). Uma grande cultura coexistia com uma grande degradação moral na cidade.

A cultura não nos torna boas pessoas. A educação não nos torna boas pessoas. Civilização não nos torna boas pessoas. A cidade de Corinto foi uma testemunha muda da verdade de que as coisas belas podem ao nosso redor, mesmo enquanto estamos degradando nossa alma.

I Cor. 6:12-13: “Tudo é permitido, mas nem tudo convém…”. O que Paulo parece estar dizendo aqui é que só porque algo é perfeitamente legal perante a Lei dos homens, como por exemplo, comer sempre que tiver fome, isso não necessariamente é legal diante da lei de Deus. Isso se aplica também a satisfazer os instintos sexuais a qualquer hora, e de qualquer jeito.

I Cor 6:18-20: “Fugi da imoralidade sexual, … glorificai a Deus no vosso corpo”.

Fugir da Imoralidade Sexual

A palavra grega para imoralidade sexual é porneo, que é a raiz de origem da nossa palavra pornografia.

No mundo atual, o código de moral está se desintegrando. Está perdendo seu significado. Não há mais consenso moral em nossa sociedade pluralista.

Hoje vivemos como o povo nos dias dos Juízes de Israel, quando cada m fazer o que parecia reto aos seus próprios olhos.

Ef. 5:3-6: “… como convém aos santos…nem conversação torpe, nem palavras vãs.”

Há algum tempo, um dos editores da revista Playboy americana, Hugh Hefner, determinou os padrões da nova moralidade. Ele disse que o prazer é o princípio básico, que viver no pecado não é pecado, e praticamente qualquer coisa é permitida se dois adultos consentirem em praticar aquilo.

Já o jornal Chicago Sun-Times, apresentou o princípio Playboy de duas maneiras: (1) sexo fora do casamento não é apenas certo, mas tamém desejado, pois pode ser muito divertido; (2) o indivíduo e sua auto-gratificação é simplesmente a coisa mais importante do mundo.

Oito formas prevalecentes de imoralidade sexual

  1. Sexo casual. Também chamado de sexo recreativo.
  2. Coabitação. Duas pessoas que não são casadas, vivendo juntas.
  3. Poligamia Seqüencial. Uma pessoa que passa por múltiplos divórcios. (Ex. Atrizes de Tv).
  4. Adultério.
  5. Prostituição. Dr. William S. Banowski: A prostituição é um mal porque degrada a prostituta e a reduz a um objeto para ser usado, não uma pessoa a ser respeitada.
  6. Masturbação Mental. Este é um termo gráfico para os efeitos da pornografia. O que é pornografia? Atualmente, pode ser definida em 4 diferentes gradações: (1) materiais sexuais em geral, no qual não há figuras explícitas de órgãos sexuais; (2) material erótico marginal, no qual os órgãos sexuais são expostos; (3) material erótico, a representação de imagens do ato sexual, e (4) material erótico hard-core, com performances ao vivo ou filmadas dos atos sexuais. (materiais: livros, filmes, DVDs, internet).
  7. Homossexualidade. No livro Sexo para Cristãos, o autor, Louis Smedes relaciona três princípios básicos a 1 Coríntios 7, sobre esse tema: (1) A sexualidade faz parte do caráter da pessoa, e deve ser incluída na necessidade do estabelecimento de valores humanos; (2) A sexualidade está presente com o objetivo de aprofundar ainda mais um relacionamento humano; (3) A sexualidade foi criada para preencher um relacionamento de amor heterossexual – não um homossexual. Dr. Irving Bieber, professor clínico associado da Faculdade de Medicina de Nova Iorquel, num estudo antigo e controverso, concluiu que a mudança para heterossexualidade é possível para todos os homossexuais que estão firmemente motivados a mudar. Eles dizem também que a heterossexualidade é a norma biológica e que, a não ser que haja interferência, todos os indivíduos são heterossexuais. Todos os homossexuais permanecem potencialmente heterossexuais. O sentimento de Ló para com a homossexualidade reinante em Sodoma: “e livrou o justo Ló, afligido pelo procedimento libertino daqueles insubordinados”. (II Pe. 2:7).
  8. Incesto. O que é incesto? É o intercurso sexual ou o relacionamento de desvio sexual entre indivíduos relacionados próximos pelo sangue. Um dos maiores problemas é que o incesto deixa uma bomba relógio na vida de uma pessoa. A confusão e a culpa que se desenvolvem na criança crescem à medida com o amadurecimento dela, e frequentemente explode mais tarde, com comportamentos de promiscuidade, prostituição e abuso de drogas. Quase sempre a experiência torna a pessoa alienada psicologicamente às outras pessoas, profundo torpo emocional, e uma série de lembranças dolorosas das experiências da infância.

Honrar a Deus com Seu Corpo

Em 1 Coríntios 6, Paulo nos dá três razões pelas quais devemos fazer isso: O corpo é (1) eterno, (2) o templo do Espírito Santo, e (3) um instrumento para ser usado por Deus.

Deus espera que vivamos da maneira que Ele nos criou – com nossos impulsos sexuais.

Mas eles não foram feitos para serem gratificados apenas fisicamente, para também para propósitos espirituais da criação de Deus.

Quando as aulas de educação sexual apresentam apenas os aspectos biológicos do sexo, elas deixam de fora um componente muito importante – o espiritual – e isso deve ser descoberto como parte do honrar a Cristo com nosso corpo.

Charles Whiston, autor do livro Oração: Um Estudo da Oração Distintiva do Cristão, afirma sobre a vida sexual: “É realmente uma pena que os relacionamento sexuais sejam tão pouco relacionados com Deus, o Criador e doador dos prazeres sexuais. A relação íntima de alegria extasiante na união sexual é um dom muito sagrado de Deus. É muito mais que simplesmente uma experiência biológica. Hoje, tanto a literatura quanto os filmes nos confrontam frequentemente com uma degradação e perversão sórdidas do sexo, e nós devemos nos opor a essa tendência”.

Ele sugere até mesmo uma oração para lembrar, durante a relação sexual, que Deus é o provedor da união sexual.

Antes: “Senhor Jesus Cristo, oferecemos nosso corpo a Ti, e que por nossa união possamos ser instrumentos para trazer um ao outro o Teu dom sagrado da felicidade e da completude. Aqui estamos. Usa-nos”.

Depois: “Ó Senhor Jesus Cristo, graças sejam dadas a Ti, pelo dom sagrado do êxtase que nos destes para experimentarmos em nosso corpo”.

Nem todos os cristãos sentem-se confortáveis ou apropriados para agirem dessa forma, mas devemos sempre nos lembrar de combater os efeitos perversivos do mundo com respeito à imoralidade e impureza com as duas direções propostas por Paulo: Negativamente – Fugindo de toda a imoralidade sexual! E positivamente – Honrando a Deus com o nosso corpo.

REFERÊNCIA: Silent Issues of the Church, Chpt. 7: “Alternative Sexual Practices”.

Marcado , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Uma resposta para Práticas Sexuais Alternativas

  1. lucidalva diz:

    Parabens por esse conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *