AJUSTANDO-SE AOS REVESES FINANCEIROS DO CASAMENTO

Rate this post

Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado, como também sei ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias já tenho experiência, tanto de fartura, como de fome, assim de abundância, como de escassez. Filipenses 4:11, 12.

Paulo diz que aprendeu a viver contente em toda e qualquer situação. Entretanto, essa atitude não é a reação natural de uma pessoa. Ela precisa lutar para demonstrar tais sentimentos diante das circunstâncias difíceis pelas quais passa. Paulo sabia viver feliz mesmo encarcerado numa cela romana, sem qualquer condição de higiene ou mesmo de alimentação satisfatória. Claro que é mais fácil viver em abundância do que com escassez. Se posso escolher entre um hotel cinco estrelas e outro que é classificado apenas com uma pontinha de estrela, evidentemente optarei pelo melhor. Não existe nenhuma virtude espiritual em escolher um hotel simples e desconfortável em detrimento a outro espaçoso e de luxo. Espiritual é saber administrar nossas reações na pobreza e na riqueza, sentindo contentamento em ambas situações.

(mais…)

ABENÇOANDO UM AO OUTRO

ABENÇOANDO UM AO OUTRO 5.00/5 (100.00%) 1 vote

Aqui vão dez sugestões que podem ajudar bastante o desenvolvimento do hábito de ser uma bênção na vida de seu cônjuge, e aprimorar o relacionamento conjugal:

a)   Aceitem-se de forma mútua e incondicional – a aceitação incondicional diz ao cônjuge: “Amo e aceito você como você é; com pontos fortes e fracos. Não é preciso mudar nada para ser amada(o) por mim”. Apesar de existir a necessidade de algumas mudanças para melhor convivência, essas mudanças virão com o tempo. Outra, nunca virão. Por isso, o cônjuge não deve ter expectativas nesse sentido, e esperar a alteração para então oferecer o amor. Ele(a) deve amar a outra pessoa agora, do jeito que é.

b)   Sejam muito amigos – Muitas vezes, no começo do relacionamento, o casal se torna melhores amigos, pois o coração está cheio de amor e desejo de compreender e alegrar o outro. Infelizmente, depois de casados, o ressentimento toma conta do coração, e, pelas circunstâncias, pressões, dificuldades da vida em comum, tornaram-se incompatíveis.

c)    Toquem-se com freqüência – Durante o período do namoro, noivado e início de casamento, parece impossível o casal não trocar algum tipo de afeto físico, tais como abraços, beijos, afagos, carinhos. Por que esse costume tão saudável, torna-se tão raro e escasso conforme os anos de casamento vão passando? Não deixem de cultivar o abraço, o beijo, seja de manhã, de tarde, ou na hora de dormir. Ao saírem, despeçam-se carinhosamente, e ao reencontrarem-se, que haja contato afetuoso entre vocês. Lembrem de tocar seu cônjuge com amor sem a intenção do ato sexual.

(mais…)